Locação de Caçamba no Brás

09/07/2018 14:05

LOCAÇÃO DE CAÇAMBAS ESTACIONÁRIAS NO BRÁS 

Conhecida por ser um dos principais centros de comércio popular da capital, a região do Brás é constantemente procurada por empreendedores a fim de investir em lojas de diversos estilos.

Por ser um local onde se efetuam bastantes reformas, é grande o número de empresários que procuram pela Multilix para locação de caçambas estacionárias no Brás.

Somos uma empresa com vasta experiência no mercado, especializada em efetuar locação de caçambas estacionárias no Brás para o armazenamento de entulhos resultantes de obras da construção civil nessa conhecida região de comércio popular.

Estamos atentos a necessidades de todos os clientes e para a locação de caçambas no Brás, disponibilizamos equipamentos da linha estacionária com 4, 12, 26 e 40 m³.

Além de locação de caçambas através de caminhões equipados com poli guindastes, efetuamos a entrega de nossos equipamentos em todas as regiões da capital, nos principais bairros.

Manter a cacambasp como parceira na locação de caçambas estacionárias no Brás garante à sua obra o trabalho de uma empresa especializada no assunto e regulamentada de acordo com as normas mais exigentes.

Além do que é acumulado durante a locação de caçambas estacionárias no Brás, nossa ATT também recebe os entulhos de pessoas físicas e jurídicas ou até mesmo daqueles que nos são trazidos diretamente de outros transportadores como construtoras, caçambeiros, empreiteiras.

Pautamos nossas ações para que os clientes de nossa empresa de  no Brás tenham seus detritos encaminhados aos devidos setores, sem o risco de futuros danos ao meio ambiente. Consulte-nos.

PARA LOCAÇÃO DE CAÇAMBAS ESTACIONÁRIAS NO BRÁs Disk caçamba 11 981252945

Caso necessite de mais informações acerca dos trabalhos de nossa empresa, ligue para a central de atendimento. Tenha  como parceira para locação  e garanta ótimos preços e o melhor custo-benefício do setor.

 

Brás está localizado no Centro da maior capital do país. Morar ou trabalhar num bairro como ele oferece a você e a sua família inúmeras opções de serviços e infraestrutura. A região já foi uma colônia de italianos e hoje se caracteriza por ser um dos maiores polos comerciais de roupa da grande São Paulo, além, é claro, de facilitar o fluxo de entrada e saída para a Zona Leste da cidade.

Conheça a história do Brás e um pouco mais sobre o que ele tem a oferecer.

 

História

 

A origem do bairro se dá a partir da construção da igreja do Senhor Bom Jesus do Matosinho, no século 18, em uma chácara pertencente a José Braz. Um povoado surgiu em volta da capela, a qual se localizava numa região afastada, nas margens de uma estrada que era conhecida como “Caminhos do José Braz”. Eis a razão do nome do bairro, que se minimizou somente a “Braz”.

O distrito permaneceu com a característica interiorana, com muitas chácaras e sítios por sua extensão, até que se desenvolveu com a chegada do café e dos imigrantes. Era um ponto de encontro entre os italianos e trabalhadores que pegavam o trem em Santos e desembarcavam em São Paulo, na estação do Brás, construída em 1867. Eles se fixaram no bairro e em regiões próximas, como a da Mooca, e determinaram a influência italiana no local. O progresso finalmente se firmou com a instalação de pequenas fábricas e comércios

Nos anos 40, com a seca que atingiu fortemente o país, a população nordestina passou a migrar para São Paulo e, como os italianos décadas antes fizeram, se instalaram na região próxima à estação de trem. O Brás, aos poucos, perdeu a cara italiana e deu espaço para a entrada do comércio popular, principalmente após a construção da linha de Metrô na década de 70.

Limites e mobilidade urbana

 

O bairro está localizado na região central, ao lado de bairros como o Bom Retiro, Pari, Sé, Belém, Mooca e Cambuci. O distrito proporciona fácil acesso à Marginal Tietê, à Radial Leste e à Avenida do Estado, onde se encontra o Mercado Municipal de São Paulo, o conhecido Mercadão. Além disso, para se locomover dentro do bairro, existem inúmeros pontos de ônibus e uma parada integrada do Metrô e da CPTM: a estação Brás, que está na Linha Vermelha e faz baldeação com a Linha 10 – Turquesa. O viaduto Bresser, as avenidas Rangel Pestana, Celso Garcia e Mercúrio são entradas para a zona, que tem comércio forte entre as ruas Oriente, Maria Marcolina, travessas próximas e no Largo da Concórdia.

 

 

Comércio

 

 

Depois do desenvolvimento nos anos 70, o Brás passou a ser um centro de comércio de confecção de roupas. Pessoas de todos os lugares do Brasil visitam o bairro para comprar roupas, as quais, geralmente, são vendidas em atacado ou varejo. O centro aglomera lojistas e revendedores de moda que buscam produtos de qualidade e um pouco mais em conta. No bairro é possível encontrar acessórios de moda e vestimentas femininas, masculinas e infantis, assim como moda praia, íntima e de casa, mesa e banho.

Feirinha da Madrugada é a cara do bairro e traduz muito bem o que ele significa. Ela acontece nos dias da semana e no sábado das 3h às 10h e reúne ambulantes nas ruas e galerias, que vendem suas mercadorias a ótimos preços e no atacado e varejo. Os produtos seguem a mesma linha dos que são vendidos em grandes lojas do comércio: camisetas, bonés, acessórios, bolsas, entre outros.

Infraestrutura e lazer

 

O Brás conta com inúmeros serviços, como mercados, escolas, universidades e parques de pequeno porte que atraem os moradores e visitantes. O destaque educacional da região fica com a ETE Carlos de Campos, referência no ensino estadual. A SP Escola de Teatro também se localiza no Brás e oferece cursos de artes cênicas para os interessados. Além disso, o bairro abriga diversas sedes de grandes companhias de Igreja, como, por exemplo, o Tempo de Salomão, da Igreja Universal do Reino de Deus. O distrito ainda resgata as origens locais e sedia restaurantes como a Cantina Gigio e a Cantina Castelões, ambos de culinária italiana.

O Brás também tem a sua própria festa tradicional, que movimenta as ruas do bairro desde 1919, quando a população local passou a saudar a imagem de São Vito Mártir, que já era amada pelos italianos. A reverência foi tão forte que, em 1940 uma paróquia foi criada em homenagem ao santo. A festa acontece no fim do mês de junho e conta com barracas de comidas típicas, shows de música ao vivo, etc.

Há também outra festa que releva a tradição italiana do bairro: a de Nossa Senhora de Casaluce. Com edições desde 1990, ocorre nos finais de semana do mês de maio na Rua Caetano Pinto. A devoção à santa também atravessou o oceano, com os imigrantes de Nápoles, e se espalhou pelo Brás. Nos mesmos moldes que a outra festa, pratos típicos são servidos, shows acontecem nas ruas e uma missa abre as comemorações. Para finalizar, uma procissão com a relíquia de Nossa Senhora de Casaluce atravessa as ruas do distrito.